terça-feira, 10 de novembro de 2015

Banco feito reaproveitando madeira de cadeira sem uso

Tá bom eu sei que a cadeira era ótima, mas de que me vale uma cadeira se o que eu preciso é de um banco.

Comprei esse jogo de varanda há muitos anos, mas depois disso já troquei duas vezes, doei algumas cadeiras e desse jogo em especial me desfiz apenas de uma cadeira, levei duas para o escritório e essa terceira estava sobrando no meu quarto, sobrando mesmo pois fiz uma banqueta vintage pra lá, se vc não lembra tem o pap dela AQUI.

Mas sempre tem aquela velha história a peça é de madeira, tá em perfeito estado, mas o fato que moro num ap e não tenho onde guarda .

Estava precisando enlouquecidamente de uma banqueta para minha cozinha, pois queria tirar a terceira cadeira de lá que atrapalhava a passagem.

Foi então que tive a ideia de reaproveitar as madeira da cadeira e fazer a banqueta, simples assim me livro da cadeira entulhando meu quarto e não gasto pra ter a minha banqueta.

Lógico que pra isso precisei das habilidades do marido, em dois tempos ele fez toda  estrutura pra mim.

Ele lixou a peça, desmontou e usou as pernas com base do banco, ficou perfeito, depois foi só cortar um MDF para servir de assento que foi parafusado nos antigos braços da cadeira.

Tinha espuma, manta acrílica e a sobra do corino das cadeiras da cozinha  (na verdade já comprei a mais pensando num banco) usando minhas habilidades de estofadora....kkk....e o meu poderoso grampeador de tapeceiro finalizei meu banquinho sob medida...kkk...

Gostaram?? Eu amei, ficou firme, encaixou perfeitamente em baixo da minha mesa sem falar que aproveitei parte da madeira da minha cadeira ( o que sobrou está guardado esperando novas ideias...kkk).



bjs
Edi


Um comentário:

  1. Que legal!
    Bom que atendeu sua necessidade, se ficou funcional e seguro isso que importa.
    E eu gostei muito da cor que você escolheu pra estofar, minha cor preferida!
    Bjussss!!!!

    ResponderExcluir

Adorei sua visita e ficarei mais feliz ainda se vc deixar sua opinião.
Volte sempre
bjs
Edi